Documento /app Documento /amp -->
Publicidade

Estado de Minas SCOOTER

Yamaha NMAX 160 ABS 2021: reforma por dentro e por fora

Com sistema start&stop, comando variável de válvulas, novo painel e chave inteligente, a segunda geração do NMAX 160 também ganhou novo visual


postado em 25/11/2020 08:00 / atualizado em 23/11/2020 16:14

A segunda geração do scooter Yamaha NMAX 160 foi totalmente modernizada, tanto na estética quanto na mecânica(foto: Stephan Solon/Yamaha/Divulgação)
A segunda geração do scooter Yamaha NMAX 160 foi totalmente modernizada, tanto na estética quanto na mecânica (foto: Stephan Solon/Yamaha/Divulgação)
 

A segunda geração do scooter Yamaha NMAX 160 ABS, já como modelo 2021, foi completamente modernizada, tanto na estética quanto na mecânica, e tem preço sugerido de R$ 14.990, mais o frete. As linhas, entretanto, não escondem o DNA da família MAX, com formas mais volumosas, que, além de proporcionar mais conforto, também impõe mais respeito no trânsito. Nesta direção, o assento ficou ainda maior, com 826.5mm de comprimento e a plataforma de apoio para os pés ficou 5mm mais larga em cada lado, passando para 107,8mm.


As mudanças externas também se estenderam aos faróis, que contam com iluminação em LED, assim como a ampla lanterna traseira com formato bipartido. O novo painel tem tela digital em LCD, iluminação em LED e lente antirreflexo. Além das funções usuais (hodômetro total e dois parciais, nível do combustível, relógio de horas e luzes de alerta), conta com o computador de bordo, indicador da carga da bateria, de temperatura do motor e da troca da correia do câmbio automático CVT. As funções do painel são acessadas com simples toque de botão no punho esquerdo do guidão

O quadro foi integralmente redesenhado, com menos pontos de solda e maior rigidez, possibilitando também novo link com o motor(foto: Stephan Solon/Yamaha/Divulgação)
O quadro foi integralmente redesenhado, com menos pontos de solda e maior rigidez, possibilitando também novo link com o motor (foto: Stephan Solon/Yamaha/Divulgação)

MORDOMIAS A chave de contato foi abolida, substituída pela smart key (chave inteligente), que pode ficar no bolso e permite ativar o motor, destravar a tampa do tanque e do porta-malas por meio de teclas abaixo do guidão. O escudo frontal também abriga dois porta-trecos, sendo um do lado direito, com tampa, e outro do lado esquerdo, com tomada 12V para recarregar o celular. O porta-malas sob o banco tem capacidade equivalente a 25 litros e acomoda um capacete do tipo fechado ou pequenas compras e volumes.

As suspensões foram recalibradas, com 100mm na dianteira e 90mm na traseira(foto: Stephan Solon/Yamaha/Divulgação)
As suspensões foram recalibradas, com 100mm na dianteira e 90mm na traseira (foto: Stephan Solon/Yamaha/Divulgação)

Na parte “interna”, o quadro foi integralmente redesenhado, com menos pontos de solda e maior rigidez, possibilitando também novo link com o motor, fixado por coxins de borracha, reduzindo vibrações. A nova geometria permitiu acomodar um tanque de combustível maior, que passou de 6,6 litros para 7,1 litros, posicionado no túnel central, ampliando a autonomia. O motor de um cilindro, com refrigeração líquida, tem os mesmos 155cm³ da primeira geração, entretanto, foi completamente modernizado.
A iluminação dos faróis e da lanterna traseira é em LED(foto: Stephan Solon/Yamaha/Divulgação)
A iluminação dos faróis e da lanterna traseira é em LED (foto: Stephan Solon/Yamaha/Divulgação)

O painel é totalmente digital em tela LCD(foto: Stephan Solon/Yamaha/Divulgação)
O painel é totalmente digital em tela LCD (foto: Stephan Solon/Yamaha/Divulgação)

ACELERANDO Mudanças na carcaça, cabeçote, pistão, válvulas, biela e virabrequim, elevaram a potência de 15,1cv para 15,4cv na mesma faixa das 8.000rpm. O torque passou de 1,5kgfm a 6.000rpm para 1,4kgfm a 6.500rpm. Entretanto, um artifício mecânico, acionado eletronicamente (Variable Valve Actiation – VVA), altera o tempo de abertura das válvulas, produzindo mais torque até os 5.000rpm e mais potência daí em diante. Na prática, as retomadas ficam mais fortes, facilitando a pilotagem no trânsito. Na hora de “esticar”, também facilita a vida do piloto.

O porta-malas sob o banco comporta um capacete do tipo fechado(foto: Stephan Solon/Yamaha/Divulgação)
O porta-malas sob o banco comporta um capacete do tipo fechado (foto: Stephan Solon/Yamaha/Divulgação)

O motor também passa a contar com o sistema start&stop para economia de combustível. Parado, sem acelerar por 1,5 segundo, desliga e volta a funcionar instantaneamente ao menor toque no acelerador. Porém, pode ser desativado. As rodas com aros de 13 polegadas e pneus sem câmara ganharam novo desenho e ficaram mais leves. As suspensões foram recalibradas para enfrentar pisos mais irregulares. Na dianteira, o garfo tem 100mm de curso e na traseira o curso é de 90mm. Os freios com ABS “sobram” em potência, com discos de 230mm em cada roda.
O motor tem comando variável e sistema start&stop (foto: Stephan Solon/Yamaha/Divulgação)
O motor tem comando variável e sistema start&stop (foto: Stephan Solon/Yamaha/Divulgação)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade